Mascarados

Havia uma sacola com uma máscara e uma garota encontrou
De início teve medo e não sabia o que fazer e nem como compor
Mas colocou sobre o seu rosto e lhe caiu tão bemFicou acometida pela euforia de uma nova face e se lançou


Na rua e o mundo lhe retribuiu com flores, ninguém duvidou
Que a máscara cobriu o rosto que antes era só
Temor

E nada parecia lhe fazer parar de acreditar
Que o novo rosto e forte, na verdade sempre fora o seu
E mesmo que alertassem, ela respondia só
Sou eu

Mas teve um dia que ao descer a rua, o mundo desabou
Outros tantos lindos mascarados transitavam sem pudor
Ajoelhou com raiva, olhou pros céus e antes de gritar
Chorou

E ao se levantar olhou pros mascarados, condenou
São todos falsos, tantas cópias de um rosto que antes era meu
Ninguém lhe dava ouvidos, ela então, cansada, se desmascarou
E sorriu

E dizem que sorrindo ela entendeuQue a vida só se dá pra quem se deu

-rubel, mascarados

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.